Leia outros Devocionais...

Deus de meu pai (07/12/2011)

A nação de Israel nasceu a partir da promessa de Deus a Abraão. Deus prometeu a ele que a sua descendência seria multiplicada como as estrelas do céu e que, a partir dele, seriam benditas todas as famílias da terra (Gênesis 12:1-3).

De Abraão, nasceram Ismael e Isaque, sendo que Isaque era o filha da promessa. A partir de Isaque, nasceram Esaú e Jacó. Jacó teve seu nome mudado para Israel, por haver lutado contra o anjo do Senhor (Gênesis 32:28), e seus doze filhos deram origem às doze tribos de Israel. Depois dessa pequena revisão de história, é necessário que observemos um comportamento comum entre Abraão, Isaque e Jacó.

Naquela época, assim como nos dias de hoje, era extremamente importante que o pai ensinasse seus filhos sobre os princípios corretos, para que ele não fosse enganado e influenciado por pessoas que baseiam suas vidas em princípios errados. Abraão tinha a responsabilidade de ensinar Isaque, e este tinha a responsabilidade de ensinar Jacó.

Os filhos sempre se espelham nos pais, afinal são os pais que passam (ou pelos menos deveriam passar) o maior tempo com os filhos. As atitudes dos pais interferem diretamente na formação do caráter dos filhos, de forma que um ensino torna-se vão se não for seguido por um atitude coerente.

Abraão tinha um relacionamento profundo com Deus, ele era amigo de Deus, e certamente queria que Isaque também se relacionasse dessa forma com Deus. Para isso, Abraão deveria mostrar para Isaque que o relacionamento com Deus era verdadeiramente o motivo de todas as bênçãos em sua vida e que Ele era e é o Único e Verdadeiro Deus.

Por sua vez, Isaque, que também havia recebido de Deus a promessa feita a seu pai, queria ensinar Jacó sobre o Deus Todo-Poderoso e, para isso, dedicou-se a cumprir a vontade de Deus e ensinar Jacó a cumpri-la também.

Portanto, Jacó foi ensinado sobre o relacionamento com o Deus Todo-Poderoso e passou a viver na dependência de Deus, reconhecendo a Sua soberania e a Sua magnificência. Jacó se referia a Deus como "Deus de meu pai", porque ele tinha temor a Deus e orgulho de obedecê-Lo por ter visto o exemplo e as maravilhosas bênçãos de Deus na vida de seu pai e de seu avô.

Em Gênesis 31:4-5, Jacó disse que, mesmo que Labão tentasse prejudicá-lo, Deus estava com ele: "4Então, Jacó mandou vir Raquel e Lia ao campo, para junto do seu rebanho, 5e lhes disse: Vejo que o rosto de vosso pai não me é favorável como anteriormente; porém o Deus de meu pai tem estado comigo."

Como seu filho vê a sua fé? Como seu filho vê a sua vida com Deus? Será que seu filho terá o orgulho de servir a Deus chamando-o de "Deus de meu pai"? Talvez você não entenda o porquê de seu filho não desejar uma vida com Deus, porém pode ser que ele não esteja vendo na sua vida o exemplo que ele precisa para servir ao "Deus de meu pai".

Tenha uma vida com Deus e você terá uma família com Deus.



Leia outros Devocionais...
Cadastre-se gratuitamente para receber novos estudos em seu e-mail

Cadastre-se
Fechar



Quer receber estudos por e-mail?
Sim    Não
Envie um comentário ou pergunta
Escrever      Fechar