Leia outros Devocionais...

Dois pesos, o mesmo coração (20/12/2011)

Na igreja contemporânea, existe uma crítica impetuosa quanto ao dízimo e quanto às ofertas. Essa crítica existe por vários motivos, dentre os quais podem ser citados: o enriquecimento de alguns líderes com os dízimos e as ofertas; e a resistência das pessoas em "mexerem" nos seus bolsos para suprirem as necessidades de uma igreja.

De um lado, existem "pastores" (observe as aspas) que determinam o quanto as pessoas devem ofertar para conquistarem a "bênção" (observe também as aspas). Do outro lado, há as pessoas que simplesmente condenam a ação de dizimar e ofertar, talvez pela resistência, talvez por observarem o comportamento de alguns líderes.

Durante o ministério de Jesus, duas mulheres agiram de forma impactante e muito diferente da maioria das pessoas de sua época.

Em certa ocasião, Jesus estava em Betânia, na casa de Simão, o leproso. Ele e os discípulos estavam reclinados sobre a mesa, segundo o costume dos judeus, e entrou uma mulher com um vaso de alabastro contendo nardo puro, de muito preço (Marcos 14:3). O alabastro é uma pedra branca e fina, uma espécie de mármore translúcido. O nardo é um unguento muito valioso, feito da planta do mesmo nome e importado da Índia.

Então, a mulher derramou todo aquele unguento sobre a cabeça de Jesus. Porém, os discípulos se indignaram achando que aquela mulher havia desperdiçado algo muito valioso (Marcos 14:4-5). Eles disseram: "Para que se fez este desperdício de unguento? Porque podia vender-se por mais de trezentos denários e dá-lo aos pobres" (Marcos 14:5).

Um denário era o salário de um dia, portanto trezentos denários equivaliam ao salário de praticamente um ano. O denário era uma moeda de prata de aproximadamente 4g, o que equivaleria hoje a cerca de R$ 2000,00. É muito dinheiro para derramar sobre a cabeça de alguém, você não acha?

Em outra ocasião, Jesus estava assentado diante dos vasos em que as pessoas depositavam suas ofertas (Marcos 12:41), sendo que foram muitos ricos e depositaram grandes quantias. Porém, foi também uma pobre viúva e depositou duas pequenas moedas (Marcos 12:42). Obviamente, a oferta dos ricos era maior que a oferta da pobre viúva, ao menos financeiramente. Contudo, Jesus disse aos seus discípulos que a viúva havia ofertado mais do que todas as outras pessoas, "porque todos eles ofertaram do que lhes sobrava; ela, porém, da sua pobreza deu tudo quanto possuía, todo o seu sustento." (Marcos 12:43-44). A oferta da viúva equivaleria hoje a trinta centavos aproximadamente.

Qual das duas ofertou mais? Financeiramente é possível comparar, pois foram dois pesos diferentes. Porém, as duas mulheres entenderam que ofertar não exige uma quantia em dinheiro, mas sim a total dependência do Senhor e a fé na provisão dEle.
A motivação daquelas duas mulheres não era multiplicar suas riquezas, mas sim adorar o Senhor em uma atitude de plena confiança nEle.



Leia outros Devocionais...
Cadastre-se gratuitamente para receber novos estudos em seu e-mail

Cadastre-se
Fechar



Quer receber estudos por e-mail?
Sim    Não
Envie um comentário ou pergunta
Escrever      Fechar